© 2011 . All rights reserved.

10 22.740 S; 123 27.943 E

Terra à vista!! Ou.. Como diz o capitão, feliz da vida… Land Ho!!!

Indescritível a emoção de ver terra depois de 3 dias no mar! Hoje de manhã, quando peguei meu turno às 6am, ainda estava escuro, mas podia ver a terra! Finalmente estou na Indonésia!!!

Primeira vez chegando de barco, primeira vez na Indonésia, primeira vez no mar por tanto tempo… Chegamos bem, todos nós. Tô muito, muito feliz!

Primeiro nascer do sol visto da Indonésia, mais um espetáculo! Parei de escrever pra registrar. Fui tirar umas fotos 😉

Agora que chegamos em segurança, posso descrever um pouco como foi essa experiência, de passar 3 dias no mar.

Eu não sou uma marinheira de primeira viagem, é bem pior que isso… Sou uma curiosa de primeira viagem, que caiu nesse barco de balão 😉 Dei sorte, pois caí num barco seguro e confortável com duas ótimas companhias: Cap. Brian e Troy.

Quando coloquei essa idéia de viajar de barco na minha cabeça e comecei a procurar por barcos para fazer parte da tripulação, fiquei com um pouco de receio pelo fato de eu ser mulher e 99% dos barcos serem tripulados por homens. Quando escolhei o Furthur, um dos pontos positivos foi que aparentemente sempre tinham mulheres na tripulação… Quando cheguei, não era bem assim. Tinham apenas 2 pessoas: Troy, um garoto de 26 anos e o Cap. Brian, ambos americanos, do Colorado e Seattle, respectivamente. Passei 5 dias em terra com eles antes de partir e achei que ia dar certo. E deu! Extremamente respeitosos. Claro, vira e mexe uma brincadeirinha, mas nada além disso. Prá quem foi criada na “selva”, isso não é nada!

Sobre a vida no barco nesses dias, vou descrever respondendo algumas perguntas que eu mesma faria.

Como é dividir esse espaço reduzido em 3 pessoas, durante 3 dias? Dá vontade de pular na água e sair nadando??!? 😉
Nesse barco é tranquilo, pois é bem espaçoso para apenas 3 pessoas. Felizmente nos demos muito bem e em momento algum me senti mal, estressada ou chateada. Na verdade acho que uma relação saudável e harmoniosa entre as pessoas que convivemos é muito mais importante que o espaço disponível em si. Em momento algum senti vontade de sair nadando ou sumir daqui 😉

O que fazer o dia todo? Deve ser o maior tédio…
Bom, posso dizer que só fica entediado quem quer. Eu não fiquei. Durante o dia temos que dividir algumas simples atividades diárias do barco, como watching, preparar as refeições e limpar tudo depois. Tudo isso sempre aconteceu automaticamente, cada um tomava iniciativa sem ter que impor regras ou escalas de trabalho. Além disso, eu inventei minhas atividades diárias:
– intercâmbio de idiomas: eu ensino português ao Troy e ele me ensina inglês. É uma delícia e super divertido. Eu ensino o básico do português e além disso usamos o dicionário do Ipad. Está sendo legal, pois pelo dicionário estou aprendendo várias palavras em PORTUGUÊS que eu desconhecia! Como sou ignorante… 😉
– novas receitas: além das refeições normais do dia, eu tô inventando algumas novidades e usando meus dois amigos de cobaia. Ontem fiz um brownie e modéstia a parte, ficou uma delícia!
– pescaria: é legal… Mas seria mais legal se realmente pegássemos alguma coisa!! Até agora nada, mas a gente se diverte… Hoje de manhã, quando chegamos tinha um flying fish dentro do barco… Acho que esses peixes estão tirando uma com a nossa cara. Não conseguimos pescar nada, então um peixe pulou aqui dentro 😉
– sol: bom, eu amo tomar banho de sol! Não deu tempo de fazer isso todos os dias, tomei banho de sol só 1 dia. Ah, enquanto eu tomava banho de sol o capitão tocava violão. Ele toca muuuuuuuuito bem! Classic rock!
– nap, uma sonequinha: nunca gostei de tirar uma soneca durante o dia, mas como acordo muito cedo pro meu turno às 6 da manhã e depois pego novamente entre 9 e meia noite, preciso dormir um pouco durante o dia. Geralmente faço isso após o almoço ou café da manhã.
– noite: observo as estrelas e constelações com o Ipad, fico admirando os photoplanktons (maravilhosos!) e ouço muita música… As 3h passam voando! Ah, o Troy me faz companhia no começo da noite!
E claro, muito bate-papo e conversa fora!

Como fazer com os enjôos?
So tive uma vez, no segundo dia. Foi bem simples… Coloquei a cabeça pra fora do barco e alimentei os peixes! Fiquei nova em folha e não tive mais 😉

Banho?
Eu tomei todos os dias, só não lavei o cabelo. Eles não tomam banho… 😛

Bom, é isso. Agora estamos aqui ancorados aguardando as autoridades da Indonésia, pra fazer o check in. Primeiro eles vêm até o barco, depois nós vamos em terra . Contei agora pouco, têm 38 barcos ancorados até o momento, ou seja, vai demorar um bocado.

Estamos em uma região muçulmana. Estou vestida dos pés à cabeça. Fazer o que né?! Vamos ver… Esse vai ser meu primeiro contato com muçulmanos, no país deles.

Bandeira do Furthur, na largada do Rally!
20111004-224607.jpg

Eu e o Troy, vestidos para a largada!
20111004-224626.jpg

Troy descansando na rede “Made in Brazil” 😉
20111004-224632.jpg

Fazendo o check in em Kupang e a tatoo do capitão!
20111004-224641.jpg

Leave a Reply

Your email address will not be published.
Required fields are marked:*

*